Terça-feira, 27 de Novembro de 2007

Vício de ti

                                

                                     

Ao longo dos tempos, vim-me a viciar em ti. Tornaste-te numa obsessão para mim. Esta palavra é associada a algo negativo, e não a considero assim. Porque não é obsessão. É mais um vício de ti. Um vício saudável de te querer ao pé de mim, um vício de estar habituada a ti. Um vício que me faz ter saudades, sofrer, gritar, chorar e querer-te juntinho a mim.

Ao longo destes anos fomos construindo esta relação fantástica que me fez ficar viciada. Que me fez habituar-me a ti. Habituar-me à tua presença, ao teu amor, ao teu carinho, a esta relação. Estou de tal maneira habituada a ter-te na minha vida, que já não me consigo imaginar sem ti. Quando penso no meu futuro, és tu que estás lá... ao meu lado...

E é um vício. É um vicio estarmos tão habituados um ao outro que deixamos de mostrar quanto amamos essa pessoa, o quanto essa pessoa significa para nós.

Estou tão viciada em ti que deixo de te dar carinho, deixo de olhar-te e dizer-te o quanto és importante para mim e o quanto fazes parte da minha vida…

E não quero deixar de te dizer, não quero que deixes de dizer. Não quero que te afastes. Não quero que esta relação se torne num vício, num hábito. Não quero que deixes te aproximar de mim, não quero que deixes de dar-me carinho. Não quero que deixes de me dar atenção, afecto. Não quero que sejamos um dado adquirido um do outro. Não quero que deixemos de lutar por este amor. Não quero que este amor seja monótono e que deixe de trazer surpresas… Não quero que com o passar do tempo deixe de dizer-te o quanto te amo. Não quero deixar de dizer-te a falta que me fazes. Não quero deixar de ter saudades tuas. Agora sei que temos saudades, e sei que estarmos longe um do outro faz apercebermo-nos do nosso amor e da falta que cada um faz. Mas não quero que se a ausência um do outro acabar tudo se torne monótono e deixemos de alimentar este amor…

Estou viciada em ti, mas um vício saudável de saber o quanto te amo e o quanto me fazes bem.


Publicado por meusrefugios às 14:48
Link do post | Adicionar aos favoritos
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Refugios recentes

Apagar blog

Porque fazemos mal a nós ...

November

Sabe bem

...

Tudo passa a nada

5 anos

Tenho saudades tuas…

Já foi mais fácil ficar s...

Se podia viver sem ti?

De volta à realidade…

Magoaste-me…

...

2010

Há algo em ti

Amo-te. Sabias?

Porque complicamos tanto?...

Preciso...

A nova fase

:)

Sem tempo

Encontrei-me?

Serei?

A seguir em frente

Há vida lá fora

...

Nada compatíveis

A sorrir!

Para ti que dizes que pos...

...

Arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

todas as tags

Outros Refugios

subscrever feeds